Seguidores

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Nossa ida à Inglaterra - Bath

Começamos nosso dia com o reforçado café da manhã britânico! Salsichas, feijão adocicado, tomate e ovo mexido!

Quer dizer, marido começou, pois pra mim e pro Enzo, comer isso de manhã é dureza... Claro que o buffet tinha outras opções de pães, geléias e iogurtes, mas eu senti muita falta dos queijos e frios!

Enfim, fizemos o check out e demos continuidade à road trip pelo interior da Inglaterra, seguindo rumo ao centro da cidade de Bath, onde está o famoso museu de banhos romanos.

Já tinha pesquisado antes um bom local para estacionamento e formos direto ao Bath Sports and Leisure Centre, bem pertinho das atrações turísticas que queríamos visitar.

Confesso que não levava muita fé nesse passeio, especialmente por estar com criança, mas me surpreendi muito positivamente!

Pra começar, Bath é uma cidade de uma cor só!
Se chegar bêbado, há grandes chances de entrar no vizinho...
Mas, mesmo assim, a cidade consegue ter seu charme.




Talvez até pela uniformidade da coloração, eles capricham muito em jardins e flores na decoração!

 






As chaminés típicas inglesas!

Cruzamos um  pequeno canal e logo estávamos na praça principal, em frente à Abadia de Bath.

Uma igreja grandiosa que começou a ser construída no Séc. 7


 
Para entrar na Abadia, há um valor sugerido de 2,50 libras, mas é opcional.


 

 
 
Enzo aprendeu sobre os túmulos em igrejas...

Em seguida, fomos para o Museu dos Banhos Romanos. Tinha alguma fila, mas conseguimos comprar rapidamente os ingressos e, com eles, recebemos os audio guias. Apesar de não ter a versão infantil traduzida, a versão adulta (em português de Portugal) era excelente e entreteve o Enzo imensamente!

Olha quem o Enzo achou lá no alto da cúpula!

Com um audio guia ele se distrai por hoooras!


O museu também dispõe de recursos multimídia para
dar uma melhor visão de como era a vida dos romanos ali

Achados e perdidos de jóias e pequenos objetos nas piscinas. Quem nunca?
Até informações sobre a engenharia da construção do local há no museu!

Não é possível tocar as águas, mas as piscinas foram construídas
sobre um leito de águas quentes encontrado no subterrâneo da cidade.
Esse mesmo calor é usado para aquecer todo o prédio.
Há uma pia com água tratada, que se pode beber. Mas é horrível de quente!

O que eu mais gostei, entretanto, foi dos atores que interpretam personagens romanos para interação com os turistas!!

Eles se apresentam em turnos e eu dei sorte de encontrar a Flavia Tiberina e a Apulia
Apulia ficava esfregando um espelho de cobre e cuidava da maquiagem
 e perfumes de sua senhora.

 

Ela me contou sobre os espelhos de prata, que eram muito melhores, sobre as sementes e essências que usava para fazer os produtos de beleza, me mostrou como fazia o desenho de "lápis" sobre o olho com o instrumento que se vê no centro do cesto (aliás, muito prático, acho que deveríamos ter essa opção hoje em dia!)


Flavia era uma figuraça! Falava com desprezo dos bretões e com orgulho de ter dinheiro para frequentar diariamente as termas e ter uma escrava egípcia que lhe fizesse seu lindo penteado! Contou das figuras de moda que recebia de Roma e tentava reproduzir naquele país longínquo.  Me perguntou de onde eu era e fez cara de não ter a menor ideia do que fosse Brasil... Amei!



Almoçamos uma pizza ótima e barata na Real Pizza Co. na York St.

Entrei para ver o fudge, que é um doce bem típico local...

Mas não animei de provar... parecem aqueles doces duros de saquinho de São Cosme...

Fomos de sorvete mesmo para a sobremesa

Ao voltarmos para o estacionamento, ainda pudemos assistir um pouco do jogo do Bath Cricket Club! Não dá pra ficar mais inglês que isso, não é?
























sábado, 20 de agosto de 2016

Nossa ida Inglaterra - Longleat

Esbarrei com o site de Longleat por acaso, enquanto procurava hotel na região de Bath. Apesar de nunca ter ouvido falar sobre o parque, achei a proposta incrível!  Um complexo que unia um safari, um parque infantil e uma linda propriedade tipicamente inglesa para visitação!

Era possível comprar ingressos para apenas parte das atrações, o Safari ou a Mansão e jardins, mas eu optei pelo pacote completo e foi ótimo, pois tivemos diversão para um dia inteiro! Seja como for, vale comprar com antecedência pela internet, pois há um bom desconto.

Saímos bem cedo do hotel, aproveitando as belezas do vilarejo de Limpley Stoke:

Portão do hotel



Tivemos problemas para chegar até o local, pois parece que a entrada foi modificada e, aparentemente, o GPS Tomtom não ficou sabendo disso.  Então, depois de rodar um pouco, paramos nesse pub lindo e pedimos informações.

Não aguento com essas paredes cobertas de folhas!!
Finalmente, chegamos!


Fiquei impressionada com as filas para entrar! Mas eram férias de agosto e tudo estava lotado mesmo.
Logo surge a imponente mansão que é o centro da propriedade

E, no caminho para o Safari, casinhas menores, também lindas!

Bom, eu não sou nada fã de zoológicos. É um ambiente no qual não consigo me sentir bem. Por isso entrei bem desconfiada nessa atração, mas me surpreendi muito positivamente! Os animais parecem muito felizes e bem tratados, andam em grupos grandes e em espaços bastante razoáveis. Não vi sinal de stress com o movimento de carros, que é lento e controlado, apesar de intenso. No site há informações de que muitos animais são oriundos de resgates e outros tantos nasceram em cativeiro (o que costuma ser sinal de adaptação ao ambiente).

Ao entrar na área do Safari, é possível estacionar e caminhar por uma parte onde pode haver maior interação com os bichos de menor porte, como cabras e cangurus. Também é onde estão os banheiros, lojinhas e até alguns shows.


Cangurus

Apesar da área cercada, se vê que a cerca apenas delimita onde os humanos podem andar,
 pois os cangurus poderiam passar facilmente por ela. 

Nesse período estava havendo shows com temática africana

É possível alimentar a girafa, mas paga-se à parte e ocorre em horário restrito pela manhã

A maioria das girafas alimenta-se em 'comedouros' colocados nas árvores
Dividem espaço com as zebras

Logo nos entregam um mapa e um CD para colocar no carro, que vai falando sobre cada uma das áreas, animais, tratamento dado aos bichos e outras informações:



O mais interessante do Safari é, sem dúvida, a área dos macacos!  Há a possibilidade de alugar-se um carro apenas para fazer o Safari, e há quem faça isso, porque eles são terríveis! É também possível pegar um atalho e pular essa parte.  Mas, caso queira continuar, são dados vários avisos:


Eu já tinha ouvido falar disso e alertei o marido, mas ele achou que era exagero e brincadeira do parque. Mas não é. Os bichinhos são danados! Sobem nos carros, mordem antenas, arrancam limpadores de para brisa, quebram luzinhas de freio, puxam borrachas... enfim, sair com seu carro incólume é uma questão de sorte.

Pestinhas em ação!

Momentos de tensão: um deles subiu no nosso carro!

Nós tivemos sorte! Mas, apesar de serem cenas engraçadíssimas, talvez não tivéssemos rido tanto se nosso carro tivesse sido escolhido para ser depenado...

Depois disso, o tour segue por diversos animais. Acredito que, como em qualquer Safari, seja uma questão de sorte ver mais ou menos deles.



Pode-se comprar saquinhos com alimento para os veados
Somente na área dos grandes predadores o controle é maior, há um duplo portão bem reforçado e o fluxo de carros é limitado por vez. Como estava muito cheio quando fomos, tivemos que esperar por um tempinho em cada uma dessas passagens.




Apenas essa última família de leões estava em local gradeado e não explicaram a razão...

Encerrado o Safari, passamos ao Adventure Park.

Labirinto de espelhos

Caverna dos morcegos

Labirinto de arbustos

Enorme! Nos perdemos fácil lá dentro! ;)

Há algumas áreas com brincadeiras direcionadas, como seguir pistas.

E uma área enorme, tipo parquinho, para explorar por horas!





Há vários locais para comer, lanchonetes, restaurantes e food trucks

Não há grandes brinquedos tecnológicos, com exceção de um 'simulador de realidade aumentada', que é engraçadinho.







Por fim, a parte que era de interesse da mamãe: a visita ao palácio em estilo elisabetano! Para quem assistia à série Downton Abbey, há uma clara semelhança de estilo e história. Infelizmente não é permitido tirar fotos do interior. A casa ainda é ocupada pela família do Lord of Bath, mas os andares inferiores estão disponíveis para visitação com uma riqueza e opulência que impressionam. Na verdade, quando se fala em desigualdade social, não há nada mais simbólico do que um local como esse! Acho que o mundo evoluiu muito nesse quesito...






Ao lado há ainda um pequeno museu com reminiscências familiares.



O quadro de campainhas. His Lordships é tão Downton Abbey!!!

Terminado o passeio, fomos jantar no pub em frente ao nosso hotel, The Hop Pole. Um típico Countryside Pub, cheio de ingleses simpáticos e muita fritura! Além disso, era o único Pokestop em kilômetros!!







Pork ribs e Fish and Chip

A pint of beer and a half pint of cider!